“Vida de artista” não é fácil!


Suíça, blog de viagem

Alguém já mudou-se de país sem saber o idioma local?

Eu já! Duas vezes! A primeira foi para a Itália, mal sabia falar “Buon Giorno!”, quem dirá saber que “prego” não era aquela haste de metal com uma ponta afiada e outra achatada, que serve para unir objetos. “Prego” em italiano significa= De nada! 😮 . Mas enfim, o Italiano não é uma língua difícil, existem várias palavras iguais ao nosso idioma. Resumindo, em três meses morando lá, eu já estava trabalhando e me comunicando bem.

A segunda, acredito que vocês já estejam carecas de saber que é o Alemão. Para as pessoas que estão conhecendo o Blog agora, moramos na Suíça há seis meses. Neste país existem 4 idiomas oficiais: Alemão, Francês, Italiano e Romanche. A maior parte da população vive na Suíça Alemã (65.6 %). Veja o artigo completo aqui para entender um pouco mais sobre essa divisão.

Já se passaram meses e eu sei somente algumas frases. Não é falta de interesse. Tenho mais facilidade para aprender interagindo do que estudando sozinha.

Quando me mudei para a Itália, um mês depois eu já estava frequentando cursos de italiano. Morei com pessoas que falavam o idioma. Os horários de trabalho do meu marido eram mais flexíveis, saíamos bastante de casa, eu ouvia o idioma na rua e captava sempre algo novo.

Aqui na Suíça tudo é diferente, começamos um curso de Alemão (meninos e eu) após cinco meses. Meu marido trabalha o dia todo e à noite está envolvido com o time de futebol, inclusive no sábado. Não conseguimos sair muito de casa, só nos sobra o domingo, mas o comércio em geral é fechado nesse dia, então meu convívio com o idioma tem um nível baixíssimo. Estudo em casa, mas como não pratico acabo me esquecendo.

Viemos pra cá no inverno, não víamos ninguém na rua, não conversávamos com ninguém, não conhecíamos ninguém.

Agora com a primavera e as temperaturas elevadas “a gente vê gente”. Nossa cidadezinha fantasma já não está mais fantasma. Tudo  ganhou cor, som e alegria. Sim, Som! No inverno quase não se ouve pessoas conversando, isso que moramos em condomínio, às vezes parecia que éramos só nós aqui. Foram meses de silêncio, escuridão, frio e hibernação. Por isso, que não me canso de escrever sobre a primavera, dias longos, quentes e divertidos.

Suíça, blog de viagem

Suíça, blog de viagem

Só agora que estamos conhecendo pouco a pouco os moradores do prédio. Conhecer, significa automaticamente que nos cumprimentamos e alguns puxam um papinho. Ops! Papinho? Como? Ainda não consigo manter um diálogo com ninguém em alemão. Consigo responder só o basicão mesmo! Mas sempre tem aquele que diz: Keine problem = Sem problemas (foi umas das primeiras palavras que aprendi) e continua a conversar e me encher de perguntas. E aí? Eu não entendo nadaaaa! Sinceramente eu gostaria muito de ver minha face quando isso me acontece. Deve ser engraçado. Como não consigo entender, muito menos responder, o que me resta é entrar para o fantástico mundo artístico e fazer mímicas. Me sinto muitas vezes uma verdadeira palhaça, mas também fico aliviada quando sou compreendida. Tenho acompanhado vários blogs de brasileiros que moram no exterior, me conforta saber que muitos passaram por essa “escola de arte” assim como os meninos e eu estamos passando.

Falando nos gêmeos, eles estão começando a se soltar. Já descem sozinhos para brincar, aos poucos estão se aproximando das outras crianças. Descobriram sozinhos que com gestos conseguem muitas vezes serem compreendidos. É uma graça observar eles tentando se expressar,  falam em português, colocam uma palavrinha básica em alemão, mas a mímica predomina. Somos em seis famílias no prédio, quatro com crianças. Imaginem a festa que tem rolado aqui por fora nestes dias.

Suíça, blog de viagem

Os meninos brincando com os vizinhos! Que progresso heim!

O que mais aproximou eles das outras crianças foi uma brincadeira nova. Desenhar com giz “escolar” na rua. Eu já tinha visto nos mercados e lojas pra vender, mas eu não imaginava que era para essa finalidade, então não tinha me chamado atenção. Agora que ficamos conhecendo e sei que os meninos adoraram a brincadeira, já estou providenciando um estojo de giz pra eles. Vocês devem estar se perguntando sobre a segurança, os carros, etc, etc, certo? Só tenho uma única resposta para todas as perguntas: Como o povo daqui é educado e paciente quando vêem uma criança brincando na rua! Pra começar, o limite de velocidade dentro da cidade é 30km/h, outra coisa são as plaquinhas indicando que “aqui existem crianças brincando” e por fim, a nossa cidade é minuscula, o fluxo de carros é fraco. Nunca imaginei que deixaria meus filhos ficarem sozinhos sentados no meio da rua desenhando.

Suíça, blog de viagem

Ficamos conhecendo a brincadeira quando a vizinha do primeiro andar distribuiu caixas de giz para a criançada, os meninos mesmo sem entender no primeiro momento para que serviam os gizes, foram no embalo. Eles desenhavam algo e já queriam mostrar para os novos “amiguinhos”, as mímicas entraram em cena mais uma vez.

Suíça, blog de viagem

Consegui “conversar” (lá estava eu protagonizando mais um episódio do capítulo “Vida de Artista”) uns vinte minutos com a vizinha do primeiro andar, super simpática e atenciosa, acredito que ela foi com a minha cara. Veio outro dia aqui em casa só pra avisar que já tinha terminado de lavar sua roupa e que seu eu quisesse poderia usar a máquina. (Já expliquei no artigo Reeducação de Vida, que em vários condomínios na Suíça existem lavanderias coletivas. Aqui no prédio eu tenho um único dia na semana para lavar minha roupa, veja o artigo completo aqui.) Isso pode não representar muito para as pessoas, mas confesso que  me senti acolhida, querida. E já estou me programando para retribuir a gentileza! 😀 

Conheci uma Croata também, que mora na quadra ao lado, ela tem um filho de 3 anos. Nas nossas “andanças” pelas redondezas acabamos nos esbarrando. Com ela não preciso entrar em nenhum personagem, pois ela arranha o italiano. Ufa! Ao menos uma pessoa pela vizinhança que consegue me enter um pouquinho. 

Não tem jeito mesmo. Tenho que aprender esse idioma custe o que custar, Pois se tem uma coisa que me agonia e irrita é o fato de não conseguir conversar com pessoas. Logo eu que sou uma matraca(muito falante).

Espero muito em breve abandonar esta vida de artista, pois sinceramente não nasci pra isso! rsrs… 😀

Gostou do artigo? Então compartilhe com seus amigos:

Facebook ,

Twitter ,

Google + ,

Instagram.

Beijo grande e até a próxima!


Sobre Kellyn Mazzucco

A Catarinense, Kellyn Mazzucco, mora atualmente na Suíça, já morou na Itália de 2008 a 2010. É Assistente Social, e pós graduada em Recursos Humanos, foi colunista social por 5 anos na sua cidade natal, Canoinhas-SC. Sua curiosidade, vontade de explorar e sua paixão por fotos agora dão vida ao Blog "Um lindo dia para Sorrir!".

Gostou do artigo? Deixe um comentário!